segunda-feira, abril 11, 2011

Vinícius de Moraes: "O tempo passa"

"Enfim, depois de tanto erro passado 
Tantas retaliações, tanto perigo 
Eis que ressurge noutro o velho amigo 
Nunca perdido, sempre reencontrado.

É bom sentá-lo novamente ao lado 
Com olhos que contêm o olhar antigo 
Sempre comigo um pouco atribulado 
E como sempre singular comigo.

Um bicho igual a mim, simples e humano 
Sabendo se mover e comover 
E a disfarçar com o meu próprio engano.

O amigo: um ser que a vida não explica
Que só se vai ao ver outro nascer
E o espelho de minha alma multiplica..."

(Soneto do Amigo)



Vinícius de Moraes nasceu no dia 19 de outubro de 1913 e faleceu em 1979, aos 66 anos. Foi um diplomata, dramaturgo, jornalista, poeta e compositor brasileiro. "O poetinha" era seu apelido. Visto como mulherengo e um grande romântico, Vinícius teve nove mulheres (apesar de só ter se casado oficialmente com uma). Seu primeiro poema de amor foi escrito aos nove anos, inspirado em uma coleguinha de classe a qual encontrou 56 anos depois.

Vinícius de Moraes também escreveu vários poemas para crianças, como este:


O Relógio

Passa, tempo, tic-tac
Tic-tac, passa, hora
Chega logo, tic-tac
Tic-tac, e vai-te embora
Passa, tempo
Bem depressa
Não atrasa
Não demora
Que já estou
Muito cansado
Já perdi 
Toda a alegria
De fazer
Meu tic-tac
Dia e noite 
Noite e dia
Tic-tac
Tic-tac
Tic-tac...

Este poema é uma leve crítica à correria do dia-a-dia. Consiste de apenas uma estrofe, composta de 19 versos. Apesar de o poema ter poucas rimas, é dada uma forte rítmica e musicalidade através da repetição do "tic-tac" do relógio, ao imitar o som de seus ponteiros. A organização do poema, na qual não há pausas em sua sonoridade, dá a ideia da rapidez com que se passa o tempo.

No texto, aparecem algumas figuras de linguagem, como a onomatopeia (o "tic-tac", imitando o som dos ponteiros do relógio), a personificação (já que o eu lírico é um relógio que se expressa e tem sentimentos) e a gradação (dando a ideia que o tempo está correndo cada vez mais depressa). Além disso, a sonoridade do poema está relacionada ao seu conteúdo (ou seja, à pressa).

2 comentários:

  1. Muito bom, meninas! Por que não colocar mais uns poemas de Vinícius? Beijo! Bernadete.

    ResponderExcluir